Mudar linguagem para Inglês
Mudar linguagem para Espanhol
Mudar linguagem para Português
Busca

Tucano - André Seale
Vitória régia do Pantanal - Daniel de Granville
Pantanal - Daniel de Granville
Passeio no Pantanal - Roberta Coelho
Bugio (Alouatta caraya) -  Daniel de Granville
Onça Pintada Rio Negro - Daniel de Granville


Artigos

23/09/2010 - 15h26

Reflexões e mudanças de uma vida

 
 

A+

A-

Altera o tamanho da letra

 

Por João Bosco Leal

 

Quando se pensa com tempo, pensa-se com maior profundidade, com maior detalhamento. Por ter tido essa oportunidade de pensar por dois anos ininterruptos, pensei bastante sobre a vida e uma infinidade de outros temas.

Os pensamentos viajaram sobre relacionamentos, filhos, netos, amizades, companheirismo, cumplicidade, trabalho, ganhos, buscas, e tantos outros temas que já não consigo recordar. Sobre relacionamentos, penso que tudo ocorreu como deveria ocorrer, desde o início ao final dos mesmos. Quanto a este assunto sinto-me muito bem. Nada ocorreu de modo ou em época diferente do que deveria ter sido, ou provavelmente não teria maturidade para tal.

Dos filhos, penso que alcancei bastante sucesso em relação à educação e formação do caráter dos mesmos. Hoje tenho um casal de filhos que só me dão orgulho em caráter, honestidade e trabalho, além do sucesso que os dois estão conseguindo em suas carreiras. Percebo, com meu amadurecimento, que poderia ter dado a eles muito mais de mim. Mais amor, mais carinho, declarações de afeição e bate papos, tempo. Mas percebo também que, ainda jovem, minha busca incessante era por trabalho e lucro para, com isso, poder lhes dar sempre o melhor que pudesse. São fases da vida e não sei se esses meus erros poderiam ser corrigidos naquela idade, pois percebo agora neles mesmos, e em outros jovens, igual comportamento em relação aos seus filhos.

Quanto aos quatro netos que já possuo, certamente não cometerei esses erros, pois para com eles não tenho a preocupação de dar mais nada, além de muito amor, carinho, bate papo, ensinamentos, passeios e coisas desse tipo. Todas as outras preocupações agora são dos pais deles e não do avô. Das amizades, aprendi muito nesses dois anos, principalmente que nos enganamos muito durante a vida, pensando serem amigos os que não o são, e tendo a oportunidade de conhecer outros, verdadeiramente amigos.

Companheirismo e cumplicidade descobri principalmente em meus filhos, já adultos, que realmente o são, meus grandes companheiros e cúmplices, que muito deram de si para que eu pudesse ultrapassar esses dois anos, além de serem verdadeiros amigos. Já bastante maduro, tenho a certeza que essas são as duas principais qualidades que se pode ter de uma companheira, e isso também tenho a meu lado, sem a menor dúvida.

Sobre o trabalho, penso que já posso diminuir um pouco o ritmo pra poder ter mais tempo para os netos. E, quanto aos ganhos financeiros que poderia ter com mais trabalho, já não me são tão importantes.

As buscas, penso que aumentaram, por conhecimento, leitura, cultura, diversão, fé e observação. A internet se tornou para mim uma fonte inesgotável de conhecimento e pesquisas. Livros nos ensinam, com experiências vividas por outros, muito do que não precisamos errar para aprender. E nos detalham, com perfeição, um mundo pelo qual jamais poderíamos passar, o passado.

Novas tecnologias e meios de comunicação abrem ainda mais essas possibilidades de conhecimento sem necessidade de sofrimentos, erros, e me fascinam. Mas nada poderá superar a observação da natureza, e certamente essa é minha maior busca atual, a observação, principalmente da natureza, para conhecimento e aprendizado.

É a natureza que atualmente tem me ensinado tudo, desde quando e como acordar, me exercitar, descansar, dormir e todo o resto. Na observação da natureza aprendemos até mesmo quando não se expor ao sol. Aprendemos que um simples grão de areia pode incomodar quando na planta de um pé descalço, mas também é capaz de dar início a uma construção que nos abrigará do sol, da noite, do frio e das tempestades.

Com a natureza aprendi que realmente só possuo o que não perderei com minha morte, ou nada, nem o pensamento.


Para acompanhar mais artigos, veja o portal de João Bosco Leal
Produtor rural, articulista e palestrante sobre assuntos ligados ao agronegócio e conflitos agrários.

A reprodução integral ou parcial de textos e fotos deste portal somente é permitida com créditos para o autor e link para a página de onde foi transcrito. É expressamente proibida a reprodução total ou parcial das fotos das galerias sem a autorização prévia dos fotógrafos, os quais estão devidamente creditados nos nomes das galeriasCaso você seja autor de alguma imagem ou texto publicados neste site e deseja remoção ou correção, clique aqui para preencher o formulário de solicitação.


Receba nossa NewsLetter
Name:
E-mail:
Código de segurança:
->