Mudar linguagem para Inglês
Mudar linguagem para Espanhol
Mudar linguagem para Português
Busca

Onça pintada - Pantanal - Daniel de Granville
Pantanal - Daniel de Granville
Capivara na Fazenda San Francisco - Roberta Coelho
 Passeio no Pantanal - André Seale
Vitória régia do Pantanal - Daniel de Granville
Passeio no Pantanal - Roberta Coelho


Homem Pantaneiro

12/09/2013 - 14h57

Coluna Homem Pantaneiro – Conheça Lucila Egydio

 
 

A+

A-

Altera o tamanho da letra

 

Lucila Egydio é uma mulher forte e apaixonada: pela vida em todas as suas formas, pelo seu trabalho e pela luta constante de conservação de biomas naturais como o Pantanal. A frente do Instituto SOS Pantanal no cargo de Diretora Executiva, ela tem cumprido sua missão em prol desse bioma.

Com vários projetos em andamento, a `Expedição Pantanal` e com a Exposição `O Pantanal é Aqui`, "Somos Água", ela viaja com sua equipe para outros estados, como nosso vizinho Mato Grosso, conscientizando a população sobre o quanto suas escolhas influenciam na preservação do bioma.

Confira agora um bate papo exclusivo com Lucila Egydio:

Qual foi a sua motivação, a inspiração para seu trabalho no Instituto SOS Pantanal?

Lucila Egydio: Logo após a graduação, (Biologia) vim trabalhar no pantanal, como guia bilíngue e foi quando me apaixonei por este lugar tão especial. Mesmo tendo trabalhado 15 anos com outros belos biomas do brasil, sempre tive a intenção de voltar ao pantanal, onde já fiz até planos de envelhecer um dia. Ser convidada para coordenar a Expedição Pantanal foi a materialização desse desejo latente e o propósito do instituto, de facilitação de diálogo, definição coletiva de como lidar com uma região, compreensão dos interesses e olhares que existem sobre ela, enfim, uma série de aspectos que acabei desenvolvendo em meu trabalho ao longo dos 15 anos que trabalhei com outros biomas. Juntar tudo isso em um trabalho em prol do pantanal tem sido um exercício muito rico.

Está satisfeita com o resultado do seu trabalho a frente do instituto?

L. E.: Sim, muito. Os desafios são muitos e nas mais diversas esferas. Desde o posicionamento estratégico da instituição, passando pela coordenação de uma equipe super enxuta face às inúmeras frentes que abrimos, a relação com fornecedores, a articulação com os parceiros, até o envolvimento em todos os aspectos operacionais, fazem com que a paixão pelo lugar seja concretizada em cada etapa de nosso trabalho.

Seus objetivos no trabalho estão sendo atingidos?

L. E.: Sendo perfeccionista como sou, vejo que temos certas correções de rumo e abordagens, mas ao avaliar de forma mais ampla, percebo que estamos sim alcançando nossos objetivos e conseguindo aos poucos posicionar o instituto como uma ONG que pretende contribuir de forma efetiva para a sustentabilidade na região.

Quais seus projetos a curto e longo prazo?

L. E.: Além da itinerância de nossa exposição a caminho de Cuiabá (MT) e depois pelo interior do estado, estamos com o planejamento da próxima Expedição Pantanal, a ser realizada em 2014, vamos começando a articular uma lei específica para o bioma, o que pode ser um marco para clarear as formas de manejo e também de conservação que cabem nesse região tão única.

Qual o significado desse instituto para sua vida?

L. E.: Sendo bem objetiva: a possibilidade de pensar e fazer em prol da sustentabilidade de um bioma que me acolheu e onde minha alma se sente imensamente confortável.

Qual o principal objetivo do Instituto SOS Pantanal?

L. E.: Gerar conhecimento e facilitar o diálogo por um pantanal sustentável. Trabalhar em Prol da conservação do Pantanal é nossa maior missão dentro do Instituto.

O SOS Pantanal recebe algum tipo de apoio?

L. E.: Sim, e dos mais variados possíveis. Não somente doações em espécie, mas apoio em materiais, pessoas, articulações, uma gama imensa para que nossas ações sejam realizadas. São nosso apoiadores: Fundação SOS Mata Atlântica, Fundação Toyota do Brasil, Toyota, Rede de Supermercados Comper, Governo do Estado de Mato Grosso do Sul (Fundação de Turismo do Mato Grosso do Sul, Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, Secretaria do Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), Centro de Pesquisa do Pantanal, Prefeitura Municipal de Campo Grande (Fundação Municipal de Cultura), rádio Blink 102 FM em Campo Grande (MS), rádio Mix Cuiabá (MT), Norte Sul Plaza - Campo Grande (MS), Pantanal Shopping - Cuiabá (MT) e Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS).

O instituto tem parceiros? Quem são?

L. E.: Temos projetos desenvolvidos em parceria com outras instituições do terceiro setor e instituições de pesquisa, sendo: WWF, Fundação SOS Mata Atlântica, Embrapa Pantanal, Conservação internacional, Fundação Avina e Ecoa.

Qualquer pessoa pode ajudar, colaborar ou ser parceiro do SOS Pantanal? Se sim como?

L. E.: Sim, claro! Há a possibilidade de receber doações de pessoas físicas ou jurídicas e em breve vamos fazer campanhas articuladas para isso e divulgaremos amplamente.

Fale um pouco do seu trabalho no instituto, satisfação, missão, objetivos?

L. E.: Fui convidada para coordenar a Expedição Pantanal, isso para mim foi a materialização do meu desejo de estar lutando em prol de um bioma tão apaixonante como o Pantanal, o Instituto trabalha da forma mais simples possível para conscientizar a população na conservação do Pantanal, diante de tudo isso nossas missões e objetivos aos poucos vem sendo atingidos dia a dia.

Por Lilian Andréia

A reprodução integral ou parcial de textos e fotos deste portal somente é permitida com créditos para o autor e link para a página de onde foi transcrito. É expressamente proibida a reprodução total ou parcial das fotos das galerias sem a autorização prévia dos fotógrafos, os quais estão devidamente creditados nos nomes das galeriasCaso você seja autor de alguma imagem ou texto publicados neste site e deseja remoção ou correção, clique aqui para preencher o formulário de solicitação.


Receba nossa NewsLetter
Name:
E-mail:
Código de segurança:
->