Mudar linguagem para Inglês
Mudar linguagem para Espanhol
Mudar linguagem para Português
Busca

Capivara na Fazenda San Francisco - Roberta Coelho
Pantanal - Daniel de Granville
Onça Pintada Rio Negro - Daniel de Granville
 Jacaré-de-papo-amarelo (Caiman latirostris)- Daniel de Granville
Sobrevoo Rio-Negro - Daniel de Granville
Bugio (Alouatta caraya) -  Daniel de Granville


Ecologia

04/11/2010 - 14h15

Fogo consumiu UCs no Cerrado

 
 

A+

A-

Altera o tamanho da letra

 

O fogo queimou este ano cerca de 6 mil quilômetros quadrados em seis parques nacionais no Cerrado. Juntos, eles somam 10,2 mil quilômetros quadrados. Na região da Ilha do Bananal, as chamas devoraram uma área quase do tamanho de Alagoas.

É o que mostra um balanço feito pela pesquisadora Helena França, do Centro de Engenharia e Ciências Sociais Aplicadas da Universidade Federal do ABC, de São Paulo. A análise foi baseada em imagens livres do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

O parque nacional do Araguaia ocupa um quarto da maior ilha fluvial do planeta, a Ilha do Bananal, no Tocantins. Na região, foram consumidos mais de 30 mil quilômetros quadrados, área maior que a do estado de Alagoas. Da unidade de conservação federal, foram queimados 56%, ou mais de 3.100 quilômetros quadrados.

Entre Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, o parque nacional das Emas (foto) foi o mais afetado na última passagem do fogo, afinal, 1.208 (mais de 90%) de seus 1.330 quilômetros foram queimados. O último grande incêndio naquele sítio declarado Patrimônio Natural da Humanidade pelas Nações Unidas aconteceu em 1994.

Com apenas setecentos de seus quase 2 mil quilômetros quadrados regularizados, o parque nacional da Serra da Canastra (MG) perdeu 42% de sua vegetação este ano, ou 835 quilômetros quadrados. Em 2006 e 2007, incêndios atingiram 55% e 51% da porção regularizada do parque, respectivamente.

Também reconhecido como Patrimônio Natural da Humanidade, o parque nacional da Chapada dos Veadeiros (GO) viu as chamas consumirem 477 de seus 660 quilômetros quadrados, ou seja, 77% da área protegida foram queimados. Incêndios são freqüentes na unidade de conservação. Os grandes últimos foram em 2003 e 2007, atingindo 90% e 60% da área, respectivamente.

Em plena capital federal, o parque nacional de Brasília foi afetado por incêndios em setembro, quando 165 (36%) de seus 454 quilômetros quadrados foram queimados. Outro grande incêndio havia ocorrido em 2007.

No Mato Grosso, o parque nacional da Chapada dos Guimarães teve 112 (35%) de seus 320 quilômetros quadrados queimados.

Em sua análise, Helena França destaca que é “praticamente impossível avaliar com rigor as conseqüências dos incêndios recém ocorridos em nossos Parques Nacionais, pois não existem programas de pesquisa e monitoramento contínuo dos efeitos do fogo na biodiversidade e nos processos ecológicos nessas unidades. Os resultados aqui apresentados, embora apenas descritivos, reforçam a necessidade de discutir e rever com urgência o manejo do fogo em nossas unidades de conservação de proteção integral”.

Fonte: WWF - Por Aldem Bourscheit

A reprodução integral ou parcial de textos e fotos deste portal somente é permitida com créditos para o autor e link para a página de onde foi transcrito. É expressamente proibida a reprodução total ou parcial das fotos das galerias sem a autorização prévia dos fotógrafos, os quais estão devidamente creditados nos nomes das galeriasCaso você seja autor de alguma imagem ou texto publicados neste site e deseja remoção ou correção, clique aqui para preencher o formulário de solicitação.


Receba nossa NewsLetter
Name:
E-mail:
Código de segurança:
->